Liberdade de Expressão

Exemplo de redação sobre os meios de comunicação em massa.

A liberdade de exprimir pensamentos é um bem inerente aos cidadãos, assegurada pela Constituição Federal de 1988. Dessa forma, os empresários da comunicação divulgam as informações que lhes convier e que atendam as necessidades do público, já que, antes de mais nada, a transmissão de conteúdo jornalístico é um mercado onde quem manda é o cliente.
Ao redor do mundo, programas sensacionalistas fazem parte da mídia televisiva. Através de pessoas que, sem escolaridade e cidadania, sofrem os reflexos da violência social, esses programas infringem o Artigo 5º da Constituição brasileira. Sendo assim, os prejudicados têm direito a abrir processo civil e criminal contra as emissoras.

Acompanhando a proliferação desse tipo de mídia no país, o Governo Federal propôs a criação de um Conselho para regulamentar a atividade jornalística. Ao contrário de países como Suécia e Grã-Bretanha, onde o Estado vem estimulando a auto-regulação da classe, a proposta brasileira vem de encontro aos princípios democráticos porque defende a regulamentação feita pelo próprio Estado. A medida causou espanto à população, que ainda tem na memória a arbitrariedade do Regime Militar e a falta de liberdade de expressão imposta por ele.

Ao mesmo tempo em que existem programas de conteúdo duvidoso, há aqueles que fazem um jornalismo sério e responsável, cabendo ao público escolher o que comprar. No entanto, a grande massa de brasileiros não tem educação e cultura suficientes para fazer discernimentos que tragam resultados positivos. É nesse ponto que o Estado deve intervir, estabelecendo políticas educacionais sérias que acabam por estimular o pensamento critico dos cidadãos. Dessa forma, a mentalidade do público muda, levando-o a desprezar o jornalismo nocivo à inteligência humana.





Início    Quem Somos    Sobre o Site    Perguntas Frequentes    O que é Vestibular Seriado    Fale Conosco